A dieta que está no sangue

 

A idéia de que o sangue pode dizer tudo a respeito de uma pessoa – inclusive detalhes de temperamento, personalidade, humor e estilo – não é nenhuma novidade. No Japão, por exemplo, perguntar o tipo sanguíneo ao conhecer alguém já é prática comum. No Brasil, o radicalismo não chega a esse ponto, mas a idéia já contamina a casa – ou melhor, a mesa – de quem adere à chamada "dieta do tipo sanguíneo" ou "dieta do sangue". O princípio é simples: classifica os alimentos de três formas – altamente benéficos, neutros e nocivos – de acordo com cada tipo de sangue. O segredo da boa saúde já viria "de fábrica", bastando obedecer a regras básicas de compatibilidade alimentar. Um exemplo é a carne vermelha, que seria um "veneno" para o sangue do tipo A e, ao mesmo tempo, um remédio para quem tem sangue tipo O.

Desenvolvida pelo naturopata (a base da naturopatia é acreditar que o corpo deve se manter equilibrado para desenvolver dispositivos de cura) Peter D’Adamo e popularizada no livro A Dieta do Tipo Sangüíneo, a dieta prega que deve haver uma alimentação diferenciada para cada tipo de sangue. Segundo o americano, a relação sangue x alimentação determinará, inclusive, o desenvolvimento de doenças como câncer, esclerose, esquizofrenia e até o enfarte. Cada sangue também define quais as comidas que podem causar emagrecimento ou aumento de peso, de acordo com a teoria de D`Adamo.

Para o médico, cada tipo sangüíneo reage à sua própria maneira aos alimentos, aproveitando uns e absorvendo mal os outros. Assim, quem é tipo A, por exemplo, não tolera bem a carne e deveria seguir um cardápio vegetariano. O extremo oposto são as pessoas que possuem tipo O, carnívoras por natureza. Este teria sido o primeiro tipo de sangue humano, o que corria nas veias de nossos ancestrais, cuja base da alimentação era a carne.

Carros com combustíveis diferentes
O primeiro livro de D’Adamo deu origem a outros, em que ele detalha como sua dieta pode ajudar no controle de doenças como a artrite, a diabete e problemas cardiovasculares. No Brasil, o clínico geral, ortomolecular e homeopata Sérgio Teixeira fez uma adaptação do livro do colega americano, levando em conta o cardápio nacional, e lançou A Dieta que Está no Sangue. Teixeira acredita que essa dieta "individualiza as pessoas em termos de alimentação e temperamento a partir da genética do sangue em seis tipos: AA, AB, AO, BB, BO e OO". E complementa: "cada uma delas é como um carro com combustível diferente, o que realmente conta muito para o bem estar e para o peso ideal". Segundo ele, há pessoas que não metabolizam qualquer alimento, apenas aqueles que seu organismo está preparado para receber.

"O estudo do tipo de sangue nos ajuda a compreender qual a melhor forma de viver em harmonia com nosso genoma, para desfrutarmos de mais saúde e longevidade", acredita a Dra. Berenice Cunha Wilke, diretora da Associação Brasileira de Medicina Complementar. Segundo ela, "cada tipo sangüíneo constitui uma mensagem genética de comportamentos e dietas de seus ancestrais".

Apesar de sedutora, a idéia de ter em mãos uma dieta 100% eficaz também causa dúvidas. O próprio Sérgio Teixeira questiona se certas informações trazidas pelas publicações não seriam precipitadas. "O primeiro livro de D’Adamo apresenta a soja como benéfica para pessoas do grupo B. No último, ele já a mostra como nociva", afirma o homeopata. Berenice também critica algumas distorções quanto à tradução da obra. "Há alimentos que foram traduzidas ao pé da letra. O certo seria incluir o nome científico". A doutora afirma, ainda, que há uma lista de mais de 50 alimentos publicados erroneamente no livro de D’Adamo. "Ele se deu conta e colocou uma errata no próprio site. Mas nunca foi corrigido no livro".

A exemplo de outras dietas como a do Dr. Atkins, a South Beach ou a Mediterrânea, entre outras, o que prevalece ainda é o bom senso. Se você desconfiou que nem todo mundo deve comer a mesma coisa ou fazer o mesmo exercício, você está certo. A atitude mais correta – e segura – é procurar um especialista, que indicará a dieta mais adequada ao seu organismo.

Conheça a dieta para cada sangue:

A dieta do grupo sangüíneo A

Aproximadamente 38% da população tem esse tipo sangüíneo. Com o início das práticas agrícolas, esse grupo foi um dos primeiros a evoluir (por causa do consumo de vegetais). As pessoas pertencentes a esse segmento saem-se melhor como vegetarianos. O aparelho digestivo é sensível, com dificuldades para decompor as proteínas e gorduras de origem animal, pois produzem menos suco gástrico. Essas pessoas são mais sensíveis a doenças do coração, ao câncer e ao diabetes. Alimentos como proteínas de soja, grãos, legumes, comidas frescas, orgânicas, peixes e frutas são muito importantes. O sistema imunológico é tolerante e reage melhor ao estresse com atividades relaxantes.

Prefira
Carnes: avestruz, frango, peru
Peixes e frutos do mar: bacalhau fresco, salmão fresco, sardinha, truta
Derivados do leite: leite e queijo de soja, tofu
Frutas: abacaxi, ameixa, cereja, figo, limão, amora, damasco
Verduras: acelga, alcachofra, brócolis, cebola, cenoura, espinafre
Cereais, massas e pães:farinhas de centeio, arroz, soja e aveia, pão de farinha de soja

Evite
Carnes: bovina, carneiro, cordeiro, pato, porco, vitela
Peixes e frutos do mar: camarão, caviar, caranguejo, marisco, mexilhão, ostra, polvo
Derivados do leite: creme de leite, sorvete, leite magro e integral, manteiga, requeijão
Frutas: banana, laranja, manga, papaia, coco
Verduras: berinjela, repolho, tomate
Cereais, massas e pães: Creme e germe de trigo, farinha de trigo
integral, pão preto, pão integral, farinha branca

Alimentos que estimulam a perda de peso: abacaxi, verduras, óleos vegetais, feijão de soja e pratos com soja.

Alimentos que estimulam o aumento de peso: carne, feijão mulatinho, produtos do leite, trigo (em grandes quantidades). 
 

A dieta do grupo sangüíneo B

Cerca de 10% da população tem esse tipo de sangue. Ele surgiu quando os seres humanos migraram para o Norte, encontrando terras mais frias e sombrias. A dieta pode ser mais variada, incluindo carne, e é o único tipo de sangue que se dá muito bem com os laticínios. O sistema imunológico das pessoas que tem o tipo B é forte, reage melhor ao estresse com criatividade. As recomendações gerais de alimentação são: carnes como cordeiro, carneiro, coelho, peru; peixes como bacalhau, salmão, linguado; laticínios como leite magro, iogurte e queijos; cereais como arroz, aveia, batata e inhame; azeite de oliva e muita verduras e legumes.

Prefira
Carnes: carneiro, cordeiro, coelho, veado
Peixes e frutos do mar: bacalhau, salmão, truta, caviar, sardinha
Derivados do leite: iogurte, leite, queijo, ovos, ricota
Frutas: abacaxi, ameixa, banana, mamão, uva
Verduras: beterraba, brócolis, cenoura, couve, repolho
Cereais, massas e pães: arroz integral, aveia, pão de aveia

Evite
Carnes:frango, pato, porco, presunto
Peixes e frutos do mar: anchova, camarão, caranguejo, lagosta, marisco, ostra, polvo, mexilhão
Derivados do leite: queijo fundido e roquefort, sorvete com leite
Frutas: carambola, caqui, côco, romã
Verduras: alcachofra, tomate, milho verde, azeitona
Cereais, massas e pães: arroz selvagem, farinha de trigo, milho, centeio

Alimentos que estimulam a perda de peso: ovos, leite e derivados com baixo teor de gordura, carne, verduras, chá de alcaçuz.

Alimentos que estimulam o aumento de peso: milho, trigo, lentilhas, amendoins e gergelim.

 A dieta do grupo sangüíneo O

Quase 50% da população apresentam este tipo de sangue. É o grupo mais antigo e resulta do cruzamento de várias culturas. Geralmente precisam comer proteína animal todos os dias. O aparelho digestivo é forte, pois produz sucos gástricos em abundância, importante para a digestão da carne. Porém, justamente por produzirem maior quantidade desses sucos gástricos, ocorre a maior incidência de doenças estomacais, como gastrites e úlceras. Não são bem-vindos aveia, trigo, grãos e derivados do leite. O sistema imunológico é bem ativo e consegue reagir ao estresse com grande atividade física.

Prefira
Carnes: bovina, cordeiro, avestruz
Peixes e frutos do mar: bacalhau fresco, linguado, salmão
Derivados do leite: mussarela, leite de soja, tofu
Frutas: ameixas frescas e secas, pretas ou vermelhas, figo
Verduras: acelga, alcachofra, brócolis, cebola, escarola, espinafre

Evite
Carnes: porco, presunto, toucinho
Peixes e frutos do mar: caviar, salmão defumado, polvo
Derivados do leite: creme de leite, iogurte, leite (integral ou magro), a maioria dos queijos, sorvete
Frutas: laranja, morango, côco, amora
Verduras: berinjela, champignon, milho, repolho
Cereais, massas e pães: aveia, trigo, cuscuz e pão branco

Alimentos que estimulam a perda de peso: algas, brócolis, peixes e frutos do mar, couve-manteiga, sal iodado, carne vermelha (carneiro, boi, caça, fígado), espinafre.

Alimentos que estimulam o aumento de peso: couve-flor, feijão, lentilha, milho, couve-de-bruxelas, repolho, trigo e derivados (glúten). 
 

 A dieta do grupo sangüíneo AB

Apenas 4% da população tem esse tipo de sangue. É uma adaptação moderna que surgiu da mistura do A e do B. Seu aparelho digestivo é sensível. Necessita de alimentos misturados em porções equilibradas. Já o sistema imunológico é excessivamente tolerante, tem reações às mudanças dietéticas e de ambientais. No geral,os alimentos recomendados são carne, peixe, produtos do leite, legumes, cereais, frutas e verduras.

Prefira
Carnes: carneiro, coelho, cordeiro e peru
Peixes e frutos do mar: atum, bacalhau, cavala, sardinha e truta
Derivados do leite: coalhada, iogurte, mussarela, ricota, queijo cottage
Frutas: abacaxi, ameixa, cereja, figo, kiwi, uva
Verduras: aipo, alho, beterraba, berinjela, brócolis, couve, pepino
Cereais, massas e pães: arroz, farinha de centeio, de trigo, aveia

Evite
Carnes: bovina, búfalo, frango, porco, presunto e vitela
Peixes e frutos do mar: anchova, camarão, caranguejo, lagosta, linguado, ostra, mexilhão, siri
Derivados do leite: leite integral, creme de leite, queijo parmesão, brie, provolone, roquefort, sorvete cremoso
Frutas: banana, caqui, goiaba, laranja, manga
Verduras: alcachofra, milho verde, nabo, pimentão, rabanete
Cereais, massas e pães: farinha de cevada, de milho, cereais matinais, amido de milho

Alimentos que estimulam a perda de peso: abacaxi, peixe, couve-manteiga, produtos do leite, tofu.

Alimentos que estimulam o aumento de peso: trigo, feijão-mulatinho, milho, nozes e sementes, carne vermelha.

 

Fonte: Site oficial – Peter J. D`Adamo (Eat Right 4 Your Type) – http://www.dadamo.com/
A Dieta do Tipo Sangüíneo – Peter J.D’Adamo, Editora CampusViva Melhor com a Dieta do Tipo Sangüíneo – Peter J. D’Adamo, Editora CampusA Dieta que Está no Sangue – Sérgio Teixeira, Editora Campus
Anúncios
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s