O Calendário Judaico

Domingo 1 de outubro
14 de Cheshvan


Segunda-feira 2 de outubro
15 de Cheshvan
Nesta data: 
Falecimento de Matityahu (139 AEC)
No segundo século da Era Comum, a Terra Santa era governada pelos Selêucidas (greco-sírios) que, com a colaboração dos judeus helenistas, introduziu ídolos pagãos no Templo Sagrado e tentou helenizar à força o povo de Israel. Matityahu, filho do Sumo Sacerdote Yochanan, já era idoso quando pegou uma espada e ergueu a bandeira da revolta na aldeia de Modiin nas colinas da Judéia. Muitos se agruparam sob o seu grito "Quem é por D’us, venha comigo!" e dos seus esconderijos nas montanhas, resistiram e batalharam contra os gregos.
Após liderar a revolta durante um ano, Matityahu faleceu a 15 de Cheshvan de 3622 (139 AEC). Seus cinco filhos – os "Macabeus" Judah, Yochanan, Shimon, Elazar e Yonatan – continuaram a batalha até a vitória final, que é celebrada todo ano desde então pelos judeus com a Festa de Chanucá.


Terça-feira 3 de outubro
16 de Cheshvan


Quarta-feira 4 de outubro
17 de Cheshvan

Nesta data: 
Começa o Dilúvio (2105 AEC)
A chuva começou a cair a 17 de Cheshvan de 1656 (2105), inundando a terra e subindo acima das montanhas mais altas. Somente Nôach e sua família sobreviveram, na arca cosntruída para esta finalidade por ordem Divina, e um par de cada espécie animal, que entraram com eles na arca.
Segue-se a cronologia do Dilúvio, conforme indicada pelas datas e períodos fornecidos na narrativa da Torá e calculados por Rashi:

17 de Cheshvan: Nôach entra na arca; a chuva começa.
27 de Kislêv: Quarenta dias de chuva terminam; têm início 150 dias do subir das águas, durante os quais a água atinge a altura de 15 cúbitos sobre o pico das montanhas.
1º de Sivan: A água se acalma e começa a descer na proporção de um cúbito a cada quatro dias.
17 de Sivan: O fundo da arca, submerso 11 cúbitos, toca o topo do Monte Ararat.
1º de Av: O pico da montanha aparece na superfície da água.
10 de Elul: Quarenta dias após os picos das montanhas ficarem visíveis, Nôach abre a janela da arca e despacha um corvo.
17 de Elul: Nôach envia a pomba pela primeira vez.
23 de Elul: A pomba é enviada uma segunda vez, e volta com uma folha de oliveira no bico.
1º de Tishrei: Terceira missão da pomba. A água foi completamente drenada.
27 de Cheshvan: O solo está totalmente seco. Nôach sai da arca.
(Esta cronologia segue a opinião so sábio talmúdico Rabi Eliezer; segundo a interpretação de Rabi Yehoshua, o Dilúvio começou a 17 de Iyar, e todas as datas acima devem ser movidas seis meses adiante.)
O tempo total que Nôach passou na arca: 365 dias (um ano solar; um ano e 11 dias no calendário lunar).


Quinta-feira 5 de outubro
18 de Cheshvan


Sexta-feira 6 de outubro
19 de Cheshvan
  Acenda velas de Shabat e Yom Tov


Sábado 7 de outubro
20 de Cheshvan

Nesta data: 
Nascimento de Rabi Shalom DovBer de Lubavitch (1860)
O quinto Rebe, Rabi Shalom DovBer Schneersohn (conhecido pelo acrônimo Rashab), nasceu a 20 de Cheshvan de 5621 (1860).
Após o falecimento de seu pai, Rabi Shmuel de Lubavitch, em 1882, Rabi Shalom DovBer assumiu a liderança do movimento. Durante os próximos 38 anos, ele escreveu e pronunciou cerca de 2.000 maamarim, discursos chassídicos, incluindo o famoso hemshechim (discursos em série) que contêm sua profunda abordagem do chassidismo de Chabad. Em 1897, ele estabeleceu a yeshivá Tomchei Temimim em Lubavitch, a primeira instituição de ensino judaico a integrar o "corpo" (estudos legais e talmúdicos) e a "alma" (estudos filosóficos e místicos) da Torá num todo coeso e vivo; foi esta forma singular de educação e estudo de Torá que produziu os "Temimim" – o exército de portadores de tochas instruídos, inspirados e devotados que, nas décadas que viriam, dariam literalmente a vida para manter o Judaísmo vivo sob o governo soviético.
Em 1915 Rabi Shalom DovBer foi forçado a deixar Lubavitch devido à aproximação da Primeira Guerra Mundial, e estabeleceu-se em Rostov Sobre o Don ao sul da Rússia. Em seus anos finais, ele começou a heróica batalha – levada adiante sob a liderança de seu filho e sucessor, Rabi Yossef Yitschac Schneersohn – contra os esforços do novo governo comunista para destruir a fé judaica. Rabi Shalom DovBer faleceu em Rostov em 1920.

Leis e Costumes:
Leitura da Torá: Parashá Vayerá (Bereshit 18:1-22:24)


Fonte: http://www.chabad.org.br/



Anúncios
Esse post foi publicado em BEIT CHABAD. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s