O Voo Da Borboleta

 

 

As borboletas são insetos da ordem Lepidóptera – não se preocupe este não é um artigo cientifico – mas, lepidóptera literalmente quer dizer “asas em escamas” e isto significa que a asa da borboleta é recoberta por escamas, por isso, cores e formas tão vibrantes. Mas apesar de toda beleza deste pequeno animal, a borboleta não nasce borboleta, mas sofre uma profunda metamorfose.

A borboleta, assim como as mariposas – sim, as mariposas são diferentes das borboletas, especialmente porque estas têm hábitos noturnos e as borboletas diurnos – nascem de ovos que ao eclodirem dão origem a larvas, as conhecidas lagartas e taturanas. Estas larvas comem sem parar, pois precisam acumular energia para o período de hibernação que dará origem as borboletas e mariposas.

Ao acumular energia suficiente, as larvas buscam um lugar seguro onde hibernarão em um casulo que será por ela construído. A seda, por exemplo, é produzida a partir de uma espécie destas larvas que tece um casulo de finos fios que pode alcançar até 900 metros. Existem outros tipos de casulo, como os rígidos, que tem uma aparência de cera, outros tem um traçado de fios e madeira, etc. Dentro deste casulo, também denominado crisálida, a larva sofrerá uma grande mutação e se transformará em borboleta.

Após a metamorfose, as borboletas rompem o casulo para ganhar vida nova. Mas o processo ainda não está terminado, a borboleta necessita secar as asas porque estas ficam úmidas dentro do casulo, além disso, a asa da borboleta é irrigada por finos vasos, o que exige grande esforço logo após nascer para bombear liquido corporal para as asas, visto que somente assim ela poderá voar. Algumas horas depois de nascer, finalmente a borboleta estará pronta para voar por 2 ou 3 semanas que é o quanto vive, em média.

As borboletas são muito especiais, não somente pela sua beleza, mas porque fazem um trabalho de polinização essencial para a continuidade das espécies. Existem algumas espécies de plantas como uma orquídea de Madagascar que é polinizada por uma única espécie de mariposa. Ocorre que os lepidópteros se alimentam através de uma tromba que permite sugar o néctar das flores, que neste caso está dentro de um tubo de 25 a 28 centímetros, portanto, ao introduzir a tromba para coletar o doce liquido, coleta o pólen que será levado à outra orquídea e a polinizará.

Mas, o que gostaria de chamar a atenção para reflexão é o fato de que este pequenino animal é muito disciplinado na questão de continuidade da espécie, porque imediatamente após nascer busca o acasalamento para preservar a espécie. Além disso, a fêmea coloca os ovos, somente depois de fazer uma criteriosa avaliação do lugar, levando em conta aspectos que vai desde a existência de outros ovos, até a existência de toxinas nocivas a sobrevivência das larvas.

Além disso, o sofrimento da larva é brutal, e leva semanas para se transformar em uma borboleta adulta, que também passa por um doloroso processo para ganhar a verdadeira forma deste inseto maravilhoso que pode voar até a 20 km por hora, mesmo pesando menos de meia grama. Aliás, nos custa admitir que as borboletas, que tão festejadas pelos poetas, sejam insetos.

Assim como as borboletas, nós os seres humanos passamos por profundas transformações, não tão radicais em relação a aparência, mas de fases de vida que as vezes também requerem grandes sacrifícios. Diferentemente dos insetos, como seres humanos temos o privilégio de pensar e tomar decisões e assim decidir o nosso futuro. Mas esta liberdade de escolha implica diretamente em consequencias, algumas vezes não esperadas, portanto é importante ter consistência dos atos em base ao sistema de valores de cada qual.

A borboleta tem como principal objetivo de vida a procriação e a polinização das flores, que garante a continuidade das espécies. Apesar de instintivamente disciplinadas, e com vida muito curta, as borboletas aparentemente vivem com grande intensidade. Qualquer jardim parecerá mais florido se tiver várias borboletas coloridas voando por ali.

Nossa vida, segundo nosso juízo de valores também é curta, por isso é importante viver de maneira profunda cada etapa. Como seres humanos temos o privilégio de sonhar e mais ainda, de realizar estes sonhos, assim como estabelecer laços afetivos e deixar nosso legado. Sonhar é preciso, pois alimenta nosso horizonte com vontade de viver. A alegria depende de nossa habilidade de ver as cores das flores e das borboletas…

 

Fonte: http://blog.luizalves.net/2009/03/30/o-voo-da-borboleta/

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em OS SÁBIOS ENSINAM. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s