ROSH HASHANAH – 5769‏ – Grupo Chassidismo

 

 

B"H

1 de Tishrei de 5769 * 30 de Setembro de 2008

M U L H E R E S  N A  T O R Á

Rosh Hashaná

 

Rezas Visionárias – Preparação para Rosh Hashaná

 

A época antes de Rosh Hashaná é um período de intensa busca em nossas almas com muitos conselhos e orientações que isto envolve. É importante tirar vantagem disto, pois em Rosh Hashaná nós recebemos nossa porção de recursos espirituais e materiais para o próximo ano (tanto individualmente quanto coletivamente). O grande Chefe nos céus dá a cada um de nós um “orçamento de luzes” baseado em nosso desempenho passado e nossas propostas para o próximo ano.

Em geral, pelo menos do ponto de vista da Chassidut, o principal trabalho para

esta época (ao contrário do período de arrependimento mais intenso entre Rosh Hashaná e Yom Kippur) é o de formular nossos objetivos, visões e resoluções para o próximo ano. Nós devemos vir para Rosh Hashaná com uma proposta em mãos. É como se estivéssemos dizendo: “Mestre e Criador, vale a pena investir na minha vida, porque isto é o que eu realizarei para Ti este ano. O resultado deste investimento inquestionavelmente vale a Tua atenção. Esta é a contribuição que eu pretendo fazer ao Teu projeto global de refinar o mundo. Eu aperfeiçoarei e desenvolverei meu espaço pessoal e individual da seguinte maneira: …, e eu contribuirei com o Povo Judeu e o planeta das seguintes maneiras: … Um pequeno investimento de bênçãos da Tua parte serão compensadas com um serviço e direção generosos da minha parte. Tu não Te arrependerás de Teu investimento”.

Para nos ajudar neste importante trabalho, foi-nos dito que D’us deixa seu palácio fortificado, burocraticamente protegido, e está alcançável no campo. Como durante a festa de Sucot, quando o presidente de Israel abre sua casa e qualquer um pode se aproximar e ter um momento de conversa com o Chefe-de-Estado. Em qualquer outra época do ano, a pessoa é investigada em vários níveis da burocracia.

Entretanto, não é somente que D’us esteja mais acessível a nós, diz o Rabbi Tsadok – um proeminente líder durante o Segundo Templo – o reverso também é verdadeiro. Nós também estamos mais acessíveis ao nosso Criador no sentido de que nossas almas e mentes estão mais receptivas ao fluxo de comunicação emanando desde Acima.

Ele explica da seguinte maneira: Rosh Hashaná é o aniversário da visão Divina da perfeição para o universo e para cada um de seus habitantes individuais. E, a cada ano nesta época, Ele reformula uma nova mini-visão do mais elevado que é possível para nós no ano seguinte. De acordo com a Kabbalah, nossa Gênese original não aconteceu suavemente. Houve, na verdade, sete universos criados e destruídos antes do nosso. Estes mundos destruídos foram a forma deliberada com a qual D’us moldou os materiais brutos com os quais nosso mundo foi projetado. De acordo com a Kabbalah, nós somos os cacos ressuscitados destes mundos caídos. E, assim, diz Rabbi Tsadok,

todo este ciclo se repete a cada ano no mês de Elul (o mês que precede Rosh Hashaná). D’us está novamente forjando os materiais brutos para a nova visão que nascerá para nós no ano seguinte.

Esta agitação criativa que acontece dentro da Divindade durante esta época é intimamente sentida por nossas almas aqui em baixo. D’us nos envia pistas em relação ao que devemos rezar, tanto em um sentido positivo quanto negativo, despertando em nós vontades e medos específicos. Rabbi Tsadok nos instrui a prestarmos especial atenção ao fluxo de pensamentos, preocupações e idéias que passam através de nossos corações e mentes nesta época. Neste mês, elas refletem os sussurros e mensagens de D’us à nossa alma muito mais do que o usual.

O trabalho da preparação para Rosh Hashaná, diz Rabbi Tsadok, é o de pegarmos estas dicas Celestiais e as transformarmos em uma oração para o próximo ano que nós verbalizamos através da reza em Rosh Hashaná. Ela não deve somente expressar nossas vontades, diz Rabbi Tsadok, mas deve tam incluir as duplicatas positivas de nossos medos. Especialmente durante o período antes do Ano Novo, D’us poderá comunicar o que Ele quer que peçamos na reza fazendo com que medos surjam dentro de nós. Isto é, na verdade, uma indicação do que Ele quer que peçamos em nossas rezas – o antídoto positivo para aquele problema específico. Por exemplo, um medo de colapso financeiro sinalizaria que D’us quer que rezemos especificamente por um ano próspero. Um medo de doença significa que nós devemos rezar por um ano de saúde, etc.

E este é o objetivo desta época: criar uma lista de rezas e resoluções que reflitam nossos desejos específicos para nós mesmos, nossos entes queridos, nosso povo, a Terra Santa, e o planeta no ano que se aproxima. Quanto mais cuidadosa a visão, mais provável ela refletirá a visão do Criador e mais poderoso será o impacto que ela terá em nosso ano.

Assim, eu gostaria de nos abençoar, como indivíduos e como comunidade, para que abramos nossos corações e nossas mentes para as comunicações de D’us conosco e que colhamos Suas dicas e as transformemos em rezas sagradas que penetrem os céus e adocem os duros decretos em sua raiz. Que os poderes combinados de nossas rezas e visões transformem nossas vidas de uma maneira que seja somente positiva. E que possam criar um recipiente de visão e anseio que seja grande o suficiente para abranger nossos destinos individuais e coletivos e traga a Redenção ao mundo agora.

 

Por Sarah Schneider

Tradutor: Moishe (a.k.a. Maurício) Klajnberg


RESUMO DA PARASHÁ VAYELECH

Devarim 31:1-30

A Parashá de

Vayelech (“E ele foi”) relata os eventos do último dia de vida terrena de Moisés. “Eu tenho 120 anos de idade hoje”, ele diz ao povo, “e eu não posso mais sair e entrar”. Ele transfere a liderança para Yoshua e escreve (ou termina de escrever) a Torá em um rolo que ele entrega em confiança ao Leviim para que guardem na Arca da Aliança.

A

mitzvah de Hak’hel (“Reunir”) é dada: a cada sete anos, durante a festa de Sucot do primeiro ano do ciclo de shemittah, todo o Povo de Israel – homens, mulheres e crianças – deve se reunir no Templo Sagrado de Jerusalém onde o rei deverá ler a Torá para eles.

Vayelech

termina com a profecia de que o Povo de Israel se afastará de seu pacto com D’us, fazendo com que Ele esconda Sua Face deles, mas também com a promessa de que as palavras da Torá “não serão esquecidas das bocas de seus descendentes”.


RESUMO DA HAFTARÁ VAYELECH

SHABAT SHUVAH

Hosea 14:2-10; Micah 7:18-20

O Shabat entre Rosh Hashaná e Yom Kippur é conhecido como

Shabat Shuvah ou “Shabat do Retorno (Arrependimento)”. O nome é uma referência às palavras iniciais da haftarah da semana, “Shuvah Israel – Retorna Ó Israel”. Esta haftarah é lida em honra ao Dez Dias de Arrependimento, os dias entre Rosh Hashaná e Yom Kippur.

O profeta Hosea exorta o povo de Israel para que “Retorna, Ó Israel, ao Senhor teu D’us”, encorajando-os a se arrependerem sinceramente e que peçam o perdão de D’us. Hosea urge aos judeus que coloquem sua confiança em D’us, não na Assíria, em cavalos poderosos ou em ídolos. Neste ponto, D’us promete remover Sua ira de Israel, “Eu serei como orvalho para Israel, eles florescerão como uma rosa”. O profeta, então, continua prevendo o retorno dos exilados e o fim da adoração de ídolos entre o povo.

A

haftarah conclui com uma breve porção do Livro de Micah que descreve a bondade de D’us em perdoar os pecados de Seu Povo. “Ele não mantém Sua ira para sempre, pois Ele é um amante da bondade. Ele terá misericórdia por nós, Ele agarrará nossas iniqüidades e jogará todos os nossos pecados nas profundezas do mar”. Micah conclui invocando perante D’us os pactos que Ele fez com os Patriarcas Avraham, Yitzchak e Yaakov.


HORÁRIO DE ACENDIMENTO DAS VELAS DE ROSH HASHANÁ E SHABAT

(NA SEGUNDA-FEIRA, ANTES DO POR-DO-SOL, ACENDA UMA VELA QUE DURE

PELO MENOS DOIS DIAS PARA QUE SEJAM ACESAS AS VELAS DE YOM TOV)

Rio de Janeiro       S. Paulo       P. Alegre      Brasília      Belém     Salvador

17:29                       17:45            18:05            17:47           17:48         17:10

Primeira Noite de Rosh Hashanah (Segunda-Feira)

29 de ELUL de 5768 (29 de SETEMBRO de 2008)

Acender as velas

ANTES do horário indicado                                                   

 

Rio de Janeiro       S. Paulo       P. Alegre      Brasília      Belém     Salvador

18:40                      18:55             19:16            18:57          18:57         18:20

Segunda Noite de Rosh Hashanah (Terça-Feira)

1 de TISHREI de 5769 (30 de SETEMBRO de 2008)

Acender as velas

DEPOIS do horário indicado                                                  

 

Rio de Janeiro       S. Paulo       P. Alegre      Brasília      Belém     Salvador

18:40                      18:55             19:16             18:57          18:57        18:20

Final de Rosh Hashanah (Terça-Feira)

2 de TISHREI de 5769 (1 de OUTUBRO de 2008)                                                

 

Início do Shabat (Sexta-Feira)

 

Rio de Janeiro       S. Paulo       P. Alegre      Brasília      Belém     Salvador

17:31                      17:46             18:07             17:48          17:47       17:10

4 de TISHREI de 5769 (3 de OUTUBRO de 2008)

Acender as velas

ANTES do horário indicado                                                  

 

Rio de Janeiro       S. Paulo       P. Alegre      Brasília      Belém     Salvador

18:41                      18:56             19:18             18:58           18:56        18:20

Final do Shabat (Sábado)

5 de TISHREI de 5769 (4 de OUTUBRO de 2008)                                               

 

 

Para outros locais, clique em: www.chabad.org.br/datas/calendario/velas.html.

 

 


Nas duas noites de Rosh Hashaná, recite as seguintes bênçãos:

1– Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech haolam, asher kideshánu Bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Yom Hazicaron.

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos, e nos ordenou acender a vela do Dia da Lembrança.

[Nota: Ao recitar a bênção seguinte na 2ª noite de Rosh Hashanah, tenha em mente a nova fruta que será comida após o

Kidush]

2- Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech haolam, shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê.

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us, Rei do Universo, que nos deu vida, nos manteve e nos fez chegar até a presente época.

 


 

No Shabat:

Na sexta-feira, acenda as velas somente ANTES do horário indicado.

Cubra os olhos com as mãos e recite a seguinte bênção, descubra os olhos e olhe para as chamas das velas:

Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Shabat kodesh.

Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos e nos ordenou acender as velas do sagrado Shabat

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em MOVIMENTO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s