Alívio para a ansiedade – parte 12

Submissão, separação e suavização
 
Entre os dois extremos do silêncio e da fala, a Cabalá e o Chassidismo identificam um terceiro. Referente à luz incandescente na visão de Ezekiel, (Ezekiel 1:4), este estágio é mencionado também pela segunda sílaba da palavra chashmal, desta vez em seu significado de rompimento. Temos assim três etapas: silêncio, rompimento e fala.

Como já foi mencionado, a segunda contribuição que um confidente pode oferecer a uma pessoa sofrendo de um mal psicológico é mostrar-lhe que há um ponto profundo dentro dele que não foi afetado por este problema. Quando é informado desta verdade, o sofredor pode usar este ponto de otimismo e pureza, ainda não contaminado, para remodelar sua situação e com isso, sua auto-imagem a uma luz mais positiva. Sua individualidade não é mais sinônimo deste problema; ele possui uma identidade e uma personalidade independentes e fora do contexto do problema.

Este afastamento mental da auto-consciência da pessoa destes problemas é o rompimento ao qual havíamos nos referido. Apenas quando a pessoa foi libertada desta identificação com seu problema, pode encará-los objetivamente, e transformá-lo em bem. O mal dentro do homem é verdadeiramente mal apenas quando está envolvido num estigma de total desesperança e incontestabilidade.

Os três termos, silêncio, rompimento e fala descrevem os atos que o indivíduo realiza em relação ao fenômeno de sua psique que ele está confrontando.

O Báal Shem Tov introduziu um segundo trio de termos, que descreve o mesmo processo em termos de processo psicológico interior que o indivíduo sofre ao relacionar-se e reagir à situação que o confronta. Este trio é submissão, separação e suavização. Submissão refere-se à humilhação do ego efetivada pelo silenciar da turbulência interior do pensamento. A separação é o processo através do qual o mal é isolado, separado do bem e descartado. A suavização é a reavaliação da realidade à luz positiva liberando o âmago do bem, que estava preso dentro do mal.

Este processo em três partes, explica o Báal Shem Tov, é uma faceta integral de qualquer experiência de desenvolvimento espiritual, e de fato, a experiência em profundidade de qualquer faceta da realidade. Pode-se apenas esperar que estes três termos possam associar-se à correspondência de um a um com os três estágios da terapia psicológica.

Reprimir a ansiedade, como foi descrito acima, é um processo de auto-humilhação. Ao reduzir a magnitude do ego em geral, a magnitude dos problemas da pessoa diminui concomitantemente. Como foi dito acima, isso pode ser conseguido de duas maneiras: através da contemplação da grandeza de D’us e da inferioridade do homem, ou rezando a D’us pela salvação da agitação gerada pelo próprio ego da pessoa.

Esta recusa auto-imposta de relacionar-se com o ego e os problemas que apresenta, com todo o respeito que presume exigir, é claramente um ato de silenciamento do ruído interior com o qual tenta monopolizar a atenção do indivíduo. A abnegação do ego, requisito para este processo, é claramente um ato de submissão; a pessoa deve humilhar-se perante a realidade mais grandiosa de D’us.

Ignorar a ansiedade, a segunda fase da terapia que descrevemos, é a habilidade de uma pessoa de romper suas amarras emocionais e conceituais ao mal existente dentro de si. Como já notamos, isso é feito forçosamente escolhendo preencher a mente com pensamentos positivos, de preferência de Torá, mas também de qualquer natureza otimista. Este é primeiro aspecto do Yossef interior em cada indivíduo, como dissemos. Ao escolher deliberadamente não chafurdar em seu próprio mal, a pessoa corta psicologicamente seu relacionamento com ele, e deixa de identificar-se em seus termos. Esse é claramente um ato de separação.

Articular a ansiedade é a capacidade da pessoa de desenterrar e expressar o mal oculto dentro de si e, com a ajuda de um confidente objetivo mas interessado, analisar e curar o problema que ele desperta. Este processo é claramente de fala e suavização, pois através dele o lado feio e escuro da personalidade torna-se parte de seu lado regulador e saudável.

Anúncios
Esse post foi publicado em CABALATERAPIA. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s